Mostrando postagens com marcador resenha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador resenha. Mostrar todas as postagens

sábado, 21 de setembro de 2013

eu vi o franz ferdinand em berlin

E significou muito pra mim.
Desde o começo do ano eu tenho escutado muito Franz Ferdinand e David Bowie enquanto eu me preparava para vir para cá. Os riffs, os teclados, a áurea oitentista, ou sei lá o que, mas essas bandas tem alguma coisa que sempre me fazem lembrar de Berlin. Mas Franz é aquela bandinha do coração que me acompanha desde os tempos de escola. Em 2005 uma das minhas melhores amigas me deu o primeiro CD deles de aniversário. Em 2006 eu estava lá na primeira fileira do Circo Voador vendo a banda ficar embasbacada com todo mundo cantando "Walk Away" em coro. 
Aguardo, desde então, um novo encontro.

E ele aconteceu na última sexta.

video
Eles começaram com "Fresh Strawberrys", música super fofa que já me fez abrir maior sorrisão que ficou comigo até o final do show. Sério. Um dos maiores sorrisos que eu já dei na vida. Saí do show amando o mundo.

Eles também cantaram os clássicos como "Walk Away", "Take me out" e "Dark of the Matineé", o que me deixaram mais feliz ainda. Mas para mim faltou algumas como "Live Alone". Só perdoo porque eles tocaram a mais linda do álbum novo, "Standing in the Horizon".

video

Viram como eu tava pertinho? E como o pessoal tá muito quietinho? Ninguém com o bracinho pra cima! Eu era uma das mais animadas com certeza, e olha que eu tava me segurando. Dei um berro no final da primeira música, o que no Brasil é mega normal, mas senti uns olhares de reprovação das pessoas que estavam ao meu lado. Haha. Alemães.

Mas pelo menos estava todo mundo em pé. Esse lugar, Volksbühne, é um anfiteatro com cadeiras e tudo. Nunca fui em um show assim, achei meio estranho. Mas foi bom porque deu aloka no Nicki(guitarra) e ele começou a ANDAR pisando nas cadeiras. Chegou muito perto de mim, foi incrível. Alex(vocal, e que vocal) também foi incrível como sempre. Invejo muito o carão que ele faz e a presença de palco que ele tem. Sexy. Odeio essa palavra, mas é isso que Alex Kapranos é. Caguei pro resto da banda, esses dois sempre me hipinotizam. Eles sabem que são incríveis. E eu sempre juro que eles estão cantando pra mim, MIDEXA #egocentrismo #leonino.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

AM

"Ouve o novo do Artic Monkeys e me diz se não temos que ouvir esse álbum na sua cama. 
Ou na minha." 

Foi a mensagem que eu mandei ao acabar de escutar o AM, novo disco do Arctic Monkeys.
É sexy, é romântico. É pra ouvir com o namorado em dia de chuva ou com aquele rolo que te faz sofrer. Mas é pra ouvir a dois, com certeza. Certeza também que o Alex Turner estava bem inspirado nesse disco. Na verdade, em uma fase de transição, arisco em dizer. Podemos perceber isso claramente na mudança de visual dele de adolescente revoltado inglês para homem mod moderno. A mesma transição se reflete também nas letras e melodias. Não sei vocês, mas eu meio que caguei pros dois últimos discos deles, achei eles meio perdidos. Mas agora eles parecem que se acharam de novo. Sério, como eles estão mudados, visivelmente mais maduros, e isso é bom. Sei que isso também é a mão do carinha lá do QOTSA que participou da produção do disco e que o Alex também super se inspirou em Velvet Underground e Lou Reed
Olha, deu certo essa mistura viu quirido. Ponto pra você. 

"Mas tem mulher aí no meio também hein", pensei. E não deu outra. Uma pesquisadinha boba no Google e várias fotos dele super apaixonado com a nova namoradinhainvejei.
E aí misturando esse amadurecimento todo, boas referências e mulher, deu nisso: foda-se o Justin Timberlake, os monkeys é que estão bringing the sexy back, de um jeito super cool inglês. 

 
Ou você vai falar que eu tô errada?

Acho que gostei muito do disco também porque me remete a tudo o que eu vivo agora: europa, chuva, mudanças, romances...